Flacidez

Com o passar dos anos, a pele, como qualquer outro órgão do corpo humano, sofre alterações em sua estrutura. Mudanças no interior das camadas da pele aparecem na superfície como sinais de envelhecimento: 1. Epiderme (camada mais superficial): uma renovação celular mais lenta e a redução da hidratação na superfície da pele torna mais provável que ela fique áspera e ressecada; 2. Derme: já a partir dos 25 anos de idade há uma diminuição anual de 1% no colágeno. A associação com a diminuição de outra estrutura importante, a elastina, origina uma desorganização do tecido dérmico, acarretando a flacidez; 3. Gordura: nas camadas mais profundas ocorre redução do tamanho e número de células de armazenamento de gordura na camada adiposa. Essa redução causa um “efeito dominó” na perda de volume e origina as grandes pregas de flacidez no rosto e corpo; 4. Músculo: com o envelhecimento esta estrutura perde seu volume, sua força de contração, se alonga e determina o aparecimento de uma flacidez intensa e exagerada. É o sinal mais avançado do envelhecimento.

O entendimento do envelhecimento do rosto e corpo em camadas e a grande quantidade de tecnologias a laser disponíveis na Dermatologia, permite realizarmos tratamentos mais sofisticados e indicados exatamente para a principal causa do envelhecimento ou flacidez de cada paciente. Para a flacidez de músculo utilizamos o Ultraformer III: um ultrassom micro e macrofocado que contrai a musculatura e estimula a formação de colágeno; para flacidez de gordura e derme profunda o Exilis Elite: uma radiofrequência monopolar, com alta energia, que compacta as células de gordura, combatendo o “efeito dominó”; o Agnis, o laser Pro-Deep e o Laser de CO2 são aparelhos que combatem a flacidez de toda a derme, contraindo e estimulando a formação de colágeno mais superficialmente. Ainda podemos adicionar aos tratamentos os bioestimuladores de colágeno, que são produtos que, ao aumentar o número de fibras de colágeno, deixam a pele mais firme.